Versos e Prosa


Segunda-feira , 31 de Dezembro de 2007


O ano de 2007 chega ao fim, nele plantei sonhos alguns cresceram outros, não passaram disso. 2008 chega e novamente estou a sonhar... desejar algumas mudanças, renovações que espero concretizar. Espero que este ano seja melhor para todos nós, que tenhamos menos violência, mais saúde menos corrupção mais fé, mais lealdade. Cada vez mais a moral vem caindo degrau por degrau, é terrível ver tantos escândalos no nosso cenário político... Estou querendo mais e tenho certeza que você também, vamos fazer a nossa parte. Espero que em 2008 eu possa está aqui novamente sorrindo, me emocionado dividindo com você os meus pensamentos. Obrigado por sua constante presença e Feliz 2008!

 

 

Receita de ano novo

Carlos Drummond de Andrade

 

Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
 

novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens? passa telegramas?)

 

Não precisa fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parcamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

 

 

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

 

Sereia

 

 

 

 

 

 

 

Escrito por Sereia Iara às 23h44
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Segunda-feira , 10 de Dezembro de 2007


Sereia  

Estamos perto do Natal, tempo de festas, comidas, presentes... Mais quero lembrar que o Natal não é somente isso. É tempo de lembrar de quem necessita, tempo de solidariedade de amor ao próximo. É triste saber que há pessoas com mesa farta, muitos presentes e outros sem nada e o pior vivendo em um país que não dar oportunidade de ter um mínimo de dignidade em sua mesa. Acredito que se cada um se doar um pouco e olhar para o lado, faremos uma grande diferença. Neste Natal seja um amigo oculto para quem realmente necessita da sua ajuda.

 

 

Sereia

 

 

Sereia
 

Doce fantasia

Iara Brandão

 

Meu menino, meu amor,

Quanta ilusão vivemos!

Como acreditamos que o nosso amor sobreviveria.

Quantos momentos sagrados, únicos, intensos...

 

Me perdi na luz do teu olhar

Na força do seu sorriso

No que suas palavras me fazia sentir.

 

Fui muito mais que uma mulher em sua vida.

Fui fonte verdadeira de afeto

A magia que qualquer mortal espera possuir.

 

E por isso não poderia ser real

Histórias assim não sobrevivem

Fica preso nos livros infantis.

 

Uma união requer mais que desejo

Tem que ter a força avassaladora do querer.

Ser companheiros, lutar, viver esta vida com dedicação

Pois é ela que destrói as ilusões.

 

Quem dera pudéssemos fazer da magia, realidade,

Fazer o impossível torna-se real.

Mas vamos deixar esta nossa história assim,

Amores encantados não há como viver no mundo real.

Escrito por Sereia Iara às 20h31
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]
 

Perfil



Meu perfil
BRASIL, Nordeste, SALVADOR, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, Livros, Informática e Internet, MUSICA
MSN -

Histórico